sábado, 31 de dezembro de 2011

Retrospectiva

Hoje 31 de dezembro de 2011, último dia do ano,acordei pensando que como todo ser humano, independente da cor, do credo,riqueza,beleza, todos nós temos tristezas,alegrias,conquistas ou derrotas vivenciadas,uns menos,outros mais! Assim seguimos nossa trajetória, horas chorando,horas sorrindo,caindo, levantando, sempre em busca do melhor e das realizações dos nossos sonhos. Como todo mundo também tive momentos de decepções, angustias, tristezas e alegrias. Às tristezas sempre procuro me fortalecer através da bíblia com os ensinamentos do apóstolo Paulo,de experiências de amigos ou de livros de auto-ajuda que trazem reflexões de vida e convivência humana. Como autora e contadora de histórias tive grandes momentos que merecem serem partilhados: Juntamente com Adilma Pinto e Minho San Liver,parceiros do “História não tem hora”, nos apresentamos para o SESC Centro, SESC Comércio e o BiblioSESC que era um sonho a ser realizado como contadora de histórias. Em parceria com o Grupo Hannah de contadores de histórias realizamos a oficina “Quem tem medo do bicho-papão” para professores da rede municipal de Aracaju e também fizemos o mês da criança nas creches e escolas municipais que me trouxe de volta a amizade e o carinho do grupo do qual estava afastada. Através da minha volta ao grupo consegui realizar outro sonho, um grande sonho,o tal falado Simpósio Internacional dos Contadores de histórias no Rio de Janeiro ,do qual todos os amigos contadores já tinham participado. Agradeço a Fátima e Zezinho Colares por este grande momento vivenciado, além de conhecer o Rio, participei de um grande evento, de arrepiar a alma, pude também abraçar minhas pupilas Jéssica e Jhuly(autora de Minhocas e Paçocas) que agora desfilam como garotas Copacabana. E também tive o prazer de levar meu filho para sua primeira viagem.Foi uma grande benção! Outra grande benção foi o concurso do Desenho Super Pingo realizado na Biblioteca Clodomir Silva,que movimentou os jovens para demonstrarem o seu talento e para o conhecimento da arte de contar histórias.Tivemos mais de 50 inscritos que nos deixou surpresos e felizes. Depois do concurso, o mais difícil foi escolher o desenho que ilustraria a história. E como foi difícil! Após cinco dias de analises tivemos como vencedora Daniela Gomes da Silva estudante da Escola Estadual General Siqueira Campos. Depois tivemos um outro grande momento: o lançamento do Pingo,com a presença da vencedora,seu pai e da direção do colégio General Siqueira,do Grupo Hannah,amigos e toda equipe da Biblioteca. Agradeço a Tarcísio, Ivani ,Maria José, e toda família Clodomir por este momento de felicidade. Para esta realização também pude contar com grandes parceiros: Unimed , Espaço Vital,Eldorado casa da arte,Clinica Santa Helena,Unicat, Dr. Samuel Freire, Antenor Aguiar, o revisor Leonardo Bandeira,o amigo-psicólogo Helon Belmiro, o ilustrador da Capa: Isaias Marinho e a equipe Info Graphics. O Super Pingo teve a honra de ser lançado no Colégio São Paulo, Cantinho da Arte Unimed e no Shopping Prêmio de Nossa Senhora do Socorro, na livraria Cata Letras e também será trabalhado como paradidático no Colégio Elite e Criativo. Para completar o ano tivemos o Natal com histórias no HUSE, conhecido como Hospital João Alves onde sou voluntária todas as terças-feiras com o Grupo Prosarte , que é uns dos momentos que me sinto mais feliz e útil. Fiz campanha juntamente com o Grupo Hannah,onde conseguimos com amigos: Pastas, livros infantis,lápis,giz de cera, cadernos e também colaboramos com livros de nossa autoria para os kits Natal com Historias. Não pude comparecer, pois meu pai estava bem doente, mas o evento foi lindo e emocionante, atingindo as minhas expectativas, da tia Luiza do HUSE e do Grupo Hannah. Como escritora e contadora de histórias o ano foi bastante abençoado e como diz o ditado: o que não deu certo é porque não chegou ao fim, dias melhores virão. E hoje comemoro 5000 exibições no meu blog, que foi criado no mês de abril deste ano por minha filha, para que eu pudesse colocar meus textos, contos e eventos que participo. Então vamos esperar 2012 com entusiasmo e pedir a Deus sabedoria, força e coragem para enfrentar as adversidades e correr atrás dos sonhos. Termino essa pequena retrospectiva com pensamentos de grande sabedoria: Acredite que você pode, assim você já está no meio do caminho. Theodore Roosevelt A persistência é o menor caminho do êxito. Charles Chaplin A nossa maior glória não reside no fato de nunca cairmos, mas sim em levantarmo-nos sempre depois de cada queda. Confúcio Um Abraço abençoado pelo Cristo Redentor

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Super Pingo no Cantinho da Arte

Parabéns a Unimed por enriquecer a sociedade sergipana com o espaço que realmente merece ser chamado de cantinho da arte, agradeço a Rosemary, Amanda e a todos que fazem parte dessa família por mais esse momento especial na minha vida.
Paz , saúde e sucesso no ano de 2012

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Um sonho realizado

Noite feliz, noite feliz... E o som da música invadia todo o ambiente. Léa arrumava sua linda casa para a recepção da noite de natal e de seu aniversário, que por coincidência eram no mesmo dia. À noite a casa estava linda! Léa começou a esperar os convidados, que vinham chegando aos poucos. Uns chegavam, cumprimentavam, comiam alguma coisa e iam embora, outros ficavam mais um pouco. Quando os sinos tocaram meia noite. Léa percebeu que já estava sozinha.
Ela ficou muito triste e sentou-se numa cadeira de balanço. Pensativa, ficou até adormecer e entrou no mundo estranho dos sonhos. Sua casa estava cheia, crianças correndo, outras brigando para poder armar a árvore de natal.
 - Vovó, eu posso ajudar também? - Não, Vinícius, você é muito pequeno, vá ajudar a enrolar os brigadeiros.
 - Lívia, cuidado para não quebrar a bola, querida!
 - Paulinha e Laís venham me ajudar a bater o bolo.
 - Danilde, minha linda, você toma conta de Suyane para vovó?
 - Tomo vovozinha.
 - Thalita, querida, dê um banho em Danila, que a cara dela está cheia de brigadeiro.
 De manhã D. Léa acordou sorrindo. E com muito amor para dar tomou uma decisão muito séria.
 D. Léa tinha muito dinheiro, nunca pensou em se casar, sempre viveu para o trabalho. Não se sentia velha, ao completar 60 anos. Agora ela sentiu que as pessoas precisam muito mais que coisas de luxo. E no dia 26 de dezembro, foi ao orfanato e adotou 8 crianças como seus filhos. Todos achavam um absurdo, que ela estava louca, mas D. Léa sabia que foi a melhor coisa que fez em sua vida.
 - No próximo natal, meus queridos, vocês vão encher essa casa de alegria. Boa noite, meus anjos!
 - Boa noite, mamãe! E as vozes soaram em coro. E Dona Léa foi dormir, com o coração cheio de amor e esperança.
 Telma Costa (Conto publicado no Jornal Sul de Sergipe pelo escritor Carlos Tadeu época em que colaborava com o jornal estanciano no ano de 1998 e também publicado no seu livro “A vida é um tremendo mistério” publicado em 2010.)

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Edição de Natal do Cantinho da Arte

Edição de Natal do Cantinho da Arte acontece dia 19/12 Participe! A entrada é gratuita. A Unimed Sergipe, através da Coordenação de Responsabilidade Socioambiental, convida a todos para participar da comemoração natalina do Cantinho da Arte, a ser realizada no dia 19 de dezembro, a partir das 18h, no Centro Assistencial da Unimed Sergipe, situada na Rua Dom Bosco, nº 499. Nesta edição especial, o projeto receberá o poeta, escritor, designer gráfico, ator e artista plástico, Carlos Conrado, que apresentará sua obra inspirada em seus próprios sonhos e feita a partir de técnicas variadas. O Cantinho da Arte também recebe o escultor Jerônimo Freitas com sua arte produzida de variados recursos encontrados como despojos da sociedade. O tema em que sua arte mais se apoia é o culto afro e os orixás, modelados com a utilização da argila, sendo, em muitos casos, misturada a outras matérias. A repercussão do seu trabalho chegou aos Estados Unidos, onde expôs suas esculturas na cidade de Portland (Oregon). O público poderá conferir o trabalho do fotógrafo Roberto Trindade, especialista em fotografias aéreas. Ele também alimenta grande dedicação ao registro de povos e lugares, captando, de forma poética, as singularidades de locais muito especiais. Desde 2006, o fotógrafo percorre o mundo em busca das mais diferentes imagens, já tendo clicado as belezas de Fernando de Noronha, a marcante cultura Argentina, o orgulhoso Chile, o exotismo da Patagônia, a originalidade do Paraguai e a força histórica de vários países da Europa. Imperdível! Na literatura, o Cantinho da Arte receberá a escritora Telma Costa, que estará autografando a obra literária “Super Pingo”. O livro conta a história de um gato feliz que começa a ficar triste devido às brincadeiras que seus amigos fazem com seu nome. Magoado, ele decide mudar de nome. O livro aborda a questão da violência psicológica (bullying), seguido da temática do cuidado com os animais, abandono e a importância do nome de cada um. A parte musical será comandada pela cantora Isis Nataly, apresentando grandes canções da MPB. Para completar a noite, o Coral Unimed fará um emocionante Recital de Natal. O Cantinho da Arte conta com sua presença para mais uma noite memorável. Prestigie! Enviar a notícias Versão para impressão

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Estatísticas do blogger

Entre sonhos e medos

   Hoje é natal, chove bastante nesta historia, chuva de falta de amor, afeto e esperança. Chove no Natal de Cíntia, menina triste, sem afeto, sem amor e sem Esperança. Cíntia a menina dessa história, vagava pela rua vestida com trajes de pobreza, quando viu um grupo de crianças abraçando um homem chamado Noel.       Disseram-lhe certa vez que este papai era um papai bonzinho que dava presentes para todas as crianças do mundo. O coração pequeno de Cíntia sentiu uma coisa diferente, ela entra na fila que estava formada para as crianças abraçarem o tal homem bonzinho, com olhos curiosos ela vê que algumas crianças ganhavam beijos, abraços e balas, mas só as bem vestidas e cheirosas.
Cíntia ganha uma bala sem abraço e beijo. A menina nos seus dez anos, descascou a bala e sentiu o amargo da vida.
  Mais a frente Cíntia encontra um grupo de pessoas, vestidas de modos diferentes, eram contadores de histórias que contavam a história de um homem bom que se chamava Jesus. Cíntia senta-se para ouvir as histórias, fecha os olhos e entra num mundo diferente, e ela se vê desse jeito: Cíntia estava vestida de princesa, protegida dos dragões, das bruxas, das mulas sem cabeça, dos lobos maus...
 Cíntia lembra do seu lobo mau, entrando no seu quarto, tocando seu corpo, sussurrando ao seu ouvido que ela era sua filha querida e que esta carícia era fruto do amor verdadeiro. Durante dois anos o lobo mau entra no seu quarto, até que...Uma bruxa disfarçada de fada mãe a expulsa de casa.
 Cíntia abre os olhos, olha ao seu redor, ninguém vê suas lagrimas. Os contadores de histórias falam para as crianças: Jesus te ama! Jesus te ama! Jesus te ama! Seu coração de menina lembra que um dia acreditou em Jesus e que em algum tempo seus velhos sapatinhos acreditavam no tal Papai Noel.
 Cíntia cabisbaixa caminha para sua moradia debaixo da ponte. Essa noite de Natal será diferente, não haverá lobos disfarçados de cordeiros, nem bruxas disfarçadas de fadas. Nessa noite de Natal Cíntia terá o abrigo da solidariedade, onde homens e mulheres sem tetos dividem o pão e a sopa orando com fé por um mundo melhor. Cíntia toma sua sopa, come o pão de cada dia e se recolhe no seu canto; fecha os olhos e escuta: "Jesus te ama, Jesus te ama"... Cíntia dorme com um sorriso nos lábios e sonha com uma voz que lhe diz: Cíntia nunca esqueça que o amor de Jesus é mais forte que tudo.
Inesperadamente os moradores daquele local recebe a visita uma equipe de televisão que leva para o mundo o sentimento de um natal simples, recheado de amor e solidariedade. Cíntia acorda e desperta seu sorriso para o mundo. Neste momento chega alguém que será muito especial na sua vida. Uma simples mulher que no seu olhar verdadeiro de fada mãe se encantou pelo olhar de Cíntia, e sentiu no seu coração que o amor maternal ali nascera entre elas.
Sara, assim se chamava a fada madrinha mãe que imediatamente interessou- se por Cíntia e demonstrou com sua determinação que queria cuidar dela. Esta grande mulher trazia nas mãos um livro infantil com histórias bíblicas que ofereceu para Cíntia, que recebeu meio tímida, mas muito feliz.
 Sara contou-lhe a história de Jesus e Cíntia sentiu pela primeira vez paz no seu coração. A parti daquele dia Sara passou a visitar Cíntia todos os dias quando saia do seu trabalho de educadora numa escola próxima ao local que Cíntia estava, e todos os dias Sara além de dar-lhe amor, dava-lhe também sabedoria. Até que a convidou para conhecer sua casa e então através dos conformes da justiça, Cíntia foi adotada  por Sara e seu esposo José.
 Cíntia hoje é uma grande mulher, graduada em Psicologia, pós graduada em Educação Especial, trabalha em uma Instituição Pública dedicando sua vida na causa das crianças sem lares e sem família. Além disso Cíntia é super grata a Sara e a José que a salvaram de um destino cruel e modificaram totalmente a sua vida de maneira positiva, nobre e enriquecedora.

Baseada em varias histórias reais
Autoras:Telma Costa e Cristina Rodrigues

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

O Relógio da Vida

Um dia, porém, também deixam de existir. O coração pára para sempre, os olhos fecham para contemplação de tudo e o cérebro deixa de funcionar. O homem e a mulher, entretanto como artigos pessoais e especiais, sempre serão lembrados pela sua fisionomia, pelo seu sentimento, pelos seus gestos e atitude na memória de muitos; bem diferente, portanto, dos relógios que marcam as horas, mas não assinalam a saudade.
Junot Silveira,a Tarde,Salvador,Ba. Do Livro As relações humanas em destaque de Gétúlio Pinto-Editora Nobel. Hoje dia 5 de dezembro fazem dois anos da morte carnal do meu irmão. Ainda lembro-me do seu olhar, da sua boca, dos cabelos... Ainda lembro-me dos nossos últimos dias juntos, do seu olhar de medo e esperança nas vésperas da cirurgia. Sinto saudades da nossa cervejinha no Farnaval e de como ele se lembrava de levar o prato de Aratu para meu marido na beira da maré “O cara paga tudo, tem que puxar o saco!” Dos telefonemas à tarde “Morena escuta essa música, olha tou aqui bebendo com os amigos, mas se quiser vou ficar aí com você?”. De quando ele foi o guia da minha cunhada Magali e seu marido Português “Rapaz, o cara é mesmo português, fala mesmo português,tem horas que nem entendo o que ele fala” Para chatear eu dizia “Quem manda não querer estudar”. Saudades,saudades,saudades...

NUVEM MARLI

Era uma vez uma nuvem que não gostava de ser nuvem. Vivia pelo céu tocada pelo vento, pra lá... pra cá ... pra lá...pra cá... A nuvem se chamava Marli e vivia reclamando e cantando assim: Sou nuvem ligeira No céu passeando De tanto ser nuvem Já tô enjoando (bis) A nuvenzinha Marli cantava pelo céu, muito zangada porque era uma nuvem e queria ser outra coisa. Um dia ela viu passando um bonito avião e disse: - Já sei, eu quero ser um avião. Começou a se espichar pra todos os lados. . Depois de muita luta, Marli conseguiu se transformar em um avião. Ficou no céu, pra lá... pra cá ... pra lá...pra cá...Marli não era um avião, não voava como um avião, não tinha piloto, não roncava como o avião. Desiludida, ela voltou a cantar assim: Sou nuvem ligeira
No céu passeando De tanto ser nuvem Já tô enjoando (bis) Foi quando ela viu um lindo passarinho voando ao seu redor e decidiu: - Eu agora quero ser um passarinho. E novamente começou se espichar pra todos os lados. Depois de muita luta, Marli conseguiu se transformar em um passarinho que ficava pelo céu pra lá... pra cá ... pra lá...pra cá... Passarinho canta e Marli não conseguia cantar, passarinho voa rápido e ela só ficava pra lá... pra cá... Que chato! Dizia Marli muito zangada, eu não quero ser nuvem. Cantava: Sou nuvem ligeira No céu passeando De tanto ser nuvem Já tô enjoando (bis) Muito zangada com sua vida de nuvem, Marli viu um brilhante foguete rasgando os céus. Que maravilha! – Disse Marli. Eu quero é ser foguete! E recomeçou os seus movimentos .Depois de muita luta, Marli conseguiu se transformar em um foguete que ficava pelo céu pra lá... pra cá ... pra lá...pra cá... Foguete solta fogo, Marli não conseguia soltar, e além disso cadê o piloto? Ela só ficava no céu pra lá... pra cá... Que chato! Dizia Marli muito triste, eu não quero ser nuvem e não consigo ser outra coisa. Sua tristeza foi tão grande que começou a chorar .
Chorou tanto que o lugar que ela estava começou a ficar bem verdinho, nasceu flores, folhinhas e uma relva muito linda! A nuvem Marli olhou aquela transformação admirada, e se perguntou: - Será que foi a minha chuva que fez isso? Para ter certeza, foi chorar em cima de uma árvore que estava muito feia e seca. Chorou durante algum tempo e eis que a árvore se transformou em um lindo pé com frutos, flores, folhas verdes. Marli descobriu que podia ser útil, que ser nuvem tinha suas vantagens e que se não fosse ela, as plantas morreriam. Descobriu que Deus tinha um trabalho pra ela e que ela era especial e unica. A partir de então ela ficou muito feliz bailando no céu pra lá... pra cá ... pra lá...pra cá... FIM

domingo, 4 de dezembro de 2011

Hospital do Senhor

Fui ao hospital do Senhor para fazer um check-up de rotina e constatei que estava doente. Quando Jesus mediu minha pressão, verificou que estava baixa de ternura. Ao tirar a temperatura, o termômetro registrou 40 graus de egoísmo. Fiz um eletrocardiograma e diagnosticaram que necessitava de uma ponte de amor, pois minhas artérias estavam bloqueadas por não abastecerem meu coração vazio. Ortopedicamente tinha dificuldade para andar lado a lado e por não conseguir abraçar irmãos por ter fraturado o braço; ao tropeçar na vaidade, tinha miopia, constatada por não enxergar além das aparências. Queixei-me de não poder ouvi-lo. Então, Ele diagnosticou: bloqueio, em decorrência das palavras vazias ditas no dia a dia. Obrigado Senhor, por não ter custado nada a consulta, por sua grande misericórdia. Prometo, após ser medicado e receber alta do hospital, somente usar homeopatia, que são os remédios que me indicou e estão no receituário do Evangelho de Jesus Cristo. Vou tomar ao me levantar, chá de obrigado Senhor, ao entrar no trabalho, um suco de bom dia irmão, de hora em hora, um comprimido de paciência com meio copo de humildade e, ao deitar, duas cápsulas de consciência tranqüila. Assim, tenho certeza, que não ficarei doente e, que todos os dias serão de Natal. Prometo prolongar este tratamento preventivo por toda a minha vida, para que quando me chamar a morte, seja natural. Obrigado Senhor, e, perdoe-me por ter tomado o seu tempo. Anônimo