quinta-feira, 2 de maio de 2013

Mãe


Hoje (2 de maio de 2013) assisti  um filme muito bonito, triste e comovente: Amor (Cine Cult, Francês).
O filme fez-me lembrar de um paciente que ficou ao lado de meu pai no hospital de Estância há seis meses. O paciente tinha 52 anos, estava bastante doente, fragilizado por conta do alcoolismo. Ele estava sendo cuidado por sua irmã, prima e sobrinha, e a única coisa que ele falava era: mãe,mãe,mãe,mãe. Durante o dia,a noite,todo o tempo,ele só falava:mãe,mãe,mãe...deixando todos que estavam ali presente ,tristes,angustiados e pensativos.
MÃE, apenas três letras e uma sílaba, mais foi a mais forte e linda melodia que aqueceu o coração daquele pobre e frágil homem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário