terça-feira, 10 de dezembro de 2013

O bem e o mal,o inimigo dentro de nós

Certa vez vindo  de Estância em um táxi lotação uma senhora que estava do lado do motorista comentou que sofria muita  discriminação na sua profissão,fiquei curiosa e perguntei qual era a sua profissão.Ela respondeu que era macumbeira(termo  usado por ela),então disse-lhe que realmente era uma área discriminada  e argumentei se era verdade que se faziam muita macumba para destruir casamentos,ela disse que sim,que era muito,muito  procurada,mas que os principais clientes dela eram  os políticos. Disse que uma vez na semana estava em Brasília,  uma vez no mês ia ao Rio,São Paulo, que era muito ocupada, que a sorte dela era uma prima que cuidava de seu filho ,pois era a melhor de Sergipe e sempre estava viajando.
Hoje pensando   sobre isso lembrei de um  caso que aconteceu em Estância.Eu sempre ouvir falar que tinha um rapaz que vinha de Estância para Aracaju a pé e depois retornava.Em ocasião da sua morte  vim saber  que era parente da gente(primo) e que ele vitima de uma praga (palavra do mal)  tinha ficado perturbado da mente.
Contam que ele  vendendo na feira teve uma pequena discussão com a cliente que lhe revelou que era ‘macumbeira ‘e  jogou-lhe a praga que daquele dia em diante iria sofrer o pão que o diabo amassou,nunca mais ele  ia ser o mesmo.Dizem que ele ficou esquisito, não quis mais trabalhar  e começou a ter forte dores de cabeça.Na época ele tinha só quinze anos e faleceu depois dos trinta.
É  triste a história desse meu primo que acreditou que podia ser atingido pelo mal invisível,talvez com oração ou pensamentos positivos ele tinha  tido uma história diferente.Dizem na família que meu avô Birrola passava pelos “despachos” pegava o que podia ser útil e nunca lhe aconteceu nada,ele simplesmente não acreditava,era protegido pelo pensamento positivo. Mas nem todo mundo é assim, uns acreditam, outros ficam duvidosos e    infelizmente  temos  que  conviver com todo tipo de  maldade, seja  visível ou invisível .
Como canta o Capital Inicial:
O mundo é todo meu por isso é assim
Renasço a cada dia
A estrada é longa e não tem fim
Eu trago em minhas costas
As montanhas que eu movi
O acaso me empurrou
Até chegar aqui
Não pergunte quem eu sou, eu sou você, a sua voz,
O heróI, o covarde,
O inimigo dentro de nós.”


Nenhum comentário:

Postar um comentário