domingo, 28 de setembro de 2014

Água do mar




Certa vez falei para meu filho “ Filho quando eu tiver bem velhinha,sem falar direito,quem sabe até numa cadeira de rodas igual a seu avô,tem uma coisa que você pode fazer por mim. Tire uma horinha do seu tempo,uma horinha basta,leva-me a praia,coloque-me nos seus belos braços e deixe-me sentir a água do mar no meu velho corpo cansado. Só com esse gesto meu filho,pode ter certeza no seu coração,que você estará proporcionando conforto e alegria para minha alma. 

                                                     Praia da Aruana- Aracaju- Sergipe

domingo, 14 de setembro de 2014

Madrugada

Ontem pra hoje, de madrugada, meu pai estava com insônia e já que ele não ia deixar eu dormir,sentei no bicama em frente a sua cama e resolvi ler “O efeito Sombra.” Meu pai ficou me olhando e pergunta:
- Quem está do seu lado?
- Ninguém. O senhor está vendo alguém do meu lado?
- Sim.
- Deve ser algum espírito. O senhor acredita no mundo espiritual?
- Sim.
-Quem está do meu lado é do bem ou do mal?
- Não tenho o poder para discernir isso.
- Tá bom. Espero que seja do bem. E meu avô Birrola tem aparecido para o senhor?
- Ele está do meu lado.
- E ele está bem?
- Está segurando minha mão e sorrindo pra mim.
- Que legal meu pai que o senhor tem esse dom de ver os mortos. O senhor se incomoda?
- Não. Eu gosto.
- Queria ter esse dom, meu pai, mas infelizmente não tenho. Já são quatro horas da manhã, vamos dormir?
- Vamos.
Coloquei o Cd instrumental da musicas de Luiz Gonzaga e fomos dormir. Mas neste momento poderia ter cantado Legião Urbana:

“É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Porque se você parar pra pensar,
Na verdade não há.

Me diz por que o céu é azul
Me explica a grande fúria do mundo
São meus filhos que tomam conta de mim

Sou uma gota d'água
Sou um grão de areia
Você me diz que seus pais não entendem
Mas você não entende seus pais...
São crianças como você...”