sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

O que eu alimento

Ontem uma amiga me ligou para contar que uma colega foi agredida pelo marido e que fez a denuncia. Ele foi preso e os colegas estão fazendo cota para juntar 2000 reais para tirá-lo da cadeia. Minha amiga achou o máximo a atitude e coragem da denunciante, só que estava admirada pela postura do marido que segundo ela é um homem considerado pela comunidade, frequenta a missa quase todos os dias, participa da campanha da sopa e outras campanhas, mas que é ciumento e possessivo, segundo relatos da esposa.
Eu disse pra minha amiga que todos nós temos o lado lobo,perverso,neurótico,demoníaco e é por isso que ele anda tanto na missa,que é para acalmar esse lado sombra que persegue todos nós.Tem gente que descarrega em lutas,academias,se dedicando demais ao trabalho,fazendo sexo demais para que o lado oculto não se apresente,só que em certo nível de estresse,ele vem a tona. É quando acontece as misérias,as violências que estão cada vez mais intensas. Que nesse caso tenho pena dos dois e aliás tenho pena de toda a humanidade que vive essa dualidade do bem e do mal.
Termino o texto com o sábio provérbio indígena: "Dentro de mim, existem dois lobos:
O lobo do ódio e o lobo do amor.
Ambos disputam o poder sobre mim.
E quando me perguntam qual lobo é vencedor,
respondo:
-O que eu alimento.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário