terça-feira, 30 de julho de 2013

Mercado Central

Hoje comprando verduras no Mercado Central a dona da banca chamou minha atenção para uma transeunte que estava  surripiando outras bancas (levava um pimentão,uma chuchu,cenoura,tomate),fazendo a feira. A vendedora comentou que elas moravam no mesmo Bairro e que não tinha pena, pois ela não procurava trabalho, vivia assim, ela e  o marido,ou pedindo ou se tivesse oportunidade ”se aproveitando da distração dos vendedores.”
A dona começou a contar um pouco da sua vida:
- Moça eu levanto antes das cinco da manhã e trabalho de domingo a domingo. Criei meus filhos  sozinha; fui abandonada pelo marido com uma menina de  dois anos e o menino com cinco anos.Crie os dois ,nunca roubei e nem pedir nada a ninguém. A menina já se formou e graças a Deus e os dois estão trabalhando. Tem coisa que a gente não deve ter pena.
Contei-lhe sobre meu pai e nossa dificuldades para encontrar alguém para trabalhar, que tem muita gente preguiçosa e que realmente tem coisas que a gente tem que avaliar e ver se realmente deve ajudar.
Fiquei pensando sobre o assunto e pensando nestes que se formaram na arte de roubar, de onde vem à culpa? Coitados, roubam tão pouco, se acham talvez espertos, como todos que roubam. Se a gente vive em um pais de tantos “ladrões”,de tanta corrupção, de desvios de verbas de tantos setores que dariam dignidade e suporte a todos os cidadãos,como condenar uma coitada ,também vitima desse sistema nefasto que vivemos?
Será culpa da  família que está delegando tudo pra SENHORA MÃE TELEVISÃO com seus convites para transgressão, para sua fabrica de ladrões?
 Talvez eu queira justificar um erro, como diz meu filho, que tenho mania de achar culpa em tudo , no sistema,em questões sociais,na vida,nos pais,criação e esqueço que todo mundo sabe o que é certo e errado. Quem sabe ele tem razão e William Shakespeare também  "Muitas vezes, nossa maneira de justificar um erro agrava o erro."

Mais ainda vou procurar culpados para todas as mazelas e traquinagens, é meu jeito de ser e pensar. Não é a toa que gosto tanto de ler e observar a vida; talvez um dia eu aceite que a vida é esse palco de ilusões com alegrias e tristezas ,  que tudo faz parte do nosso crescimento,da nossa evolução, da lei universal de Deus.

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Lançamento do meu 12º livro no Cantinho Cultural dos Correios

Lançamento do meu 12º livro no Cantinho Cultural dos Correios
18/07/2013



Lançamento

http://g1.globo.com/se/sergipe/noticia/2013/07/45-edicao-do-cantinho-cultural-dos-correios-acontece-em-aracaju.html

45ª edição do Cantinho Cultural dos 

Correios acontece em Aracaju

Música, artes plásticas e literatura na agência do Calçadão da Laranjeiras.
Escritora Telma Costa irá lançar livro ‘Preciso Dizer que Te Amo’.

Do G1 SE
Comente agora
A 45ª edição do Cantinho Cultural dos Correios será realizada na tarde desta quinta-feira (18), na agência central localizada no Calçadão da Rua Laranjeiras, no Centro de Aracaju (SE). Música, artes plásticas e literatura estarão presentes a partir das 15h30.
A escritora Telma Costa irá lançar o livro ‘Preciso Dizer que Te Amo’. A programação conta ainda com a abertura de uma exposição de telas dos artistas plásticos Kalvero e Vitor Fabiano, e a apresentação da cantora Roberta Lima.
O evento conta com a participação de convidados e do público em geral, que frequenta a agência central para utilizar os serviços postais, e que terá a oportunidade de conhecer talentos locais dos mais variados segmentos. A iniciativa tem o apoio da Associação dos Artistas Plásticos de Aracaju (AAPLASA).
Artistas
A escritora Telma Costa é pedagoga, pós-graduada em ‘Arte e Educação’ e contadora de histórias. ‘Preciso dizer que te amo’, direcionado ao público adolescente, é o 11º livro da autora. A história se desenrola a partir das páginas de um diário e mostra as inquietações e os segredos da jovem Aline, que vive sua primeira paixão.
Com estilo expressionista, o artista plástico Vitor Fabiano costuma pintar figuras femininas, às vezes santas, às vezes mulheres comuns, revelando sua visão particular do belo. É considerado uma das maiores revelações dos últimos anos. Já Kalvero, gaúcho residente em Aracaju há 25 anos e aposentado como ilustrador e projetista, é um veterano nas artes plásticas. Tem estilo impressionista e também se dedica à xilogravura.
Cantora e compositora, Roberta Lima iniciou sua carreira artística em 2007, interpretando canções da MPB e músicas próprias. Em 2010 gravou seu primeiro CD, intitulado ‘Simplesmente Amor’, que foi lançado em Aracaju e divulgado em Jerusalém (Israel).
tópicos:

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Criatividade com o Bicho-papão

Desabafo de um taxista

Assistindo a reportagem sobre carro elétrico, o apresentador  expôs sobre as  suas vantagens sendo uma delas é que o carro não faz barulho e que se o passageiro de um táxi elétrico  viajar com um taxista que não puxa conversa, a viagem  será  bem silenciosa.
Achei interessante a referência sobre o taxista e pensei que na maioria das vezes eu é que puxo converso com os taxistas, talvez seja uma postura dos taxistas daqui de Sergipe não abordar assunto com os clientes.
Lembro-me de uma das poucas vezes que um taxista abordou assunto. Mal entrei no táxi, ele começou a falar, acredito que precisava desabafar e aproveitou o momento.
- Senhora, a senhora já ouviu falar que uma mulher depois de 25 anos de casamento, com mais de 50 anos de idade, tivesse a capacidade de trair o marido?
Respondi que nunca ouvir falar de nenhum caso.
Ele continuou:
- Pois é senhora, também achava que não. A senhora acredita que minha mulher me traiu com o meu vizinho, também casado.
Fiquei sem palavra.
- Sabe senhora, foi um grande choque,fiquei doente,nunca pensei numa coisa dessa.A gente pensa  que isso acontece quando a mulher é jovem,mas depois dos cinquenta e já avó,nunca esperei.
Fiquei curiosa e perguntei: - E aí?
- Aí que a gente se separou, ela está com ele e duas famílias estão destruídas. Pior senhora é lidar com a solidão,chego em casa e não tem ninguém me esperando, faço comida e nem tenho vontade de comer, assisto TV sozinho,durmo sozinho,minha única alegria é o papagaio que é meu fiel  companheiro.
- Isso vai passar. Depois o senhor encontra alguém.
- É difícil, já tenho 60 anos e não gosto muito de sair, tá difícil.
Chegamos ao itinerário e quando sair do carro falei o que tinha pra falar:
- Não desanime, tudo passa,  o senhor ainda vai ser feliz!
Espero que tenha ajudado e como diz a musica: Quem espera que a vida
Seja feita de ilusão
/Pode até ficar maluco/Ou morrer na solidão/É preciso ter cuidado
Pra mais tarde não sofrer/É preciso saber viver...(Titãs)

 “Os veículos elétricos fazem parte do grupo dos veículos denominados Zero-Emissões, que por terem um meio de locomoção não poluente não emitem quaisquer gases nocivos para o ambiente, nem emitem ruído considerável pois são bastante silenciosos.”