sábado, 28 de dezembro de 2013

Feliz 2014


Mundo das invenções

Muitas das vazes meu pai (85 anos) precisa fazer uso do canudinho para sorver líquidos tipo café ,suco,vitamina. Essa semana ao dar o café de meu pai fiquei observando aquele objeto e comentei:
-Meu pai sou fascinada pelo mundo das invenções, observe o canudinho, um objeto tão simples e tem tanta utilidade.O senhor mesmo tem quatro anos que faz uso do canudo, com certeza outros idosos também,é muito utilizado em bares,restaurantes, etc.Olhe só ,um plástico com um furo,parece tão simples e quem inventou ficou rico.O senhor sabe o que é o velcro? Vou ver se tem aqui; pronto achei no seu aparelho de pressão e vou passar na sua pele,sinta ,vá pensando o que isso faz o senhor lembrar,vá sentindo...
- Carrapicho- Acertou meu pai.
- Pois é meu pai, o senhor sabia que o Brasil é o país que tem mais carrapicho no mundo ,e o velcro foi inventado por apenas dois carrapichos que enroscou numa calça de um cara,se eu não me engano foi na Alemanha ou Suíça;o cara olhou aquilo,observou,estudou na sua mente e BUm,o cara ficou mi-li-o-ná-rio,milionário meu pai. Veja também o palito,outra coisa que o senhor adora,olhe só uma madeira afinada e de tanta utilidade; o inventor com certeza patenteou e ficou rico também. O senhor sabia que o palito Gina esta completando 120 anos,deixe eu pegar a caixa para o senhor ver.
-Desculpe meu pai,Gina completa 100 anos.
-Você gosta de inventar histórias em minha filha?Disse que era 120 e agora 100, que diferença.
-Calculei errado, risos; quem conta histórias é assim mesmo. Repare meu pai eu e Marilene fazemos poesias, histórias e Nena excelentes musicas e veja não ficamos nem bem de vida com isso,na verdade não ganhamos quase nada.
- O que lhes falta é determinação, só determinação minha filha.
- Pode ser meu pai,pode ser...
Assim terminou o nosso papo sobre o mundo das invenções e chegando em Aracaju fui pra Net pesquisar e aguçar minha curiosidade:
Marvin Stone ? dono de uma fábrica de piteiras de papel nos Estados Unidos ? costumava descer o quarteirão para tomar seu drinque habitual depois do expediente. Era uma bebida feita de uísque, açúcar e menta, chamada mint julep, que precisava estar sempre bem gelada. Por isso, as pessoas costumavam bebê-la através de canudos naturais de capim para que suas mãos não tocassem o copo. Infelizmente, os canudos naturais estavam longe de ser uma solução satisfatória, uma vez que faziam o líquido ficar com gosto de grama. Stone notou a relação entre o processo de fabricação de suas piteiras e a possibilidade de fazer canudos artificiais de papel.

Excitado pela possibilidade de beber um mint julep ainda mais saboroso, ele tentou colocar sua idéia em prática, enrolando longas e finas faixas de papel ao redor de um lápis e prendendo as extremidades com uma pincelada de cola para evitar que o papel desenrolasse. Em 1888, Stone fez vários desses canudos e deixou-os com o barman da taverna para seu uso pessoal.

A limonada era outra bebida muito popular naquele tempo, e Stone pensou que as pessoas também gostariam de bebê-la com um canudinho. Assim, ele projetou um canudo de papel de 20 centímetros, com um diâmetro suficiente para impedir que sementes de limão bloqueassem o tubo. Ele utilizou papel manilha recoberto com parafina para que o canudo não se encharcasse em contato com o líquido. Reconhecendo o interesse de todos por sua invenção, Stone colocou a maior parte de seus empregados para enrolar canudos. Marvin Stone inventou também o apontador de lápis e o suporte de caneta tinteiro. Fonte :Tutomania
O velcro foi inventado em 1948 por Georges de Mestral 1 , um engenheiro da Suíça. Ele inspirou-se após analisar atentamente as sementes de Arctium que grudavam constantemente em sua roupa e no pêlo de seu cão durante suas caminhadas diárias pelos Alpes. Georges examinou o material através de um microscópio e distinguiu diversos filamentos entrelaçados terminando em pequenos ganchos, causando a potente aderência dos carrapichos nos tecidos. Por fim concluiu ser possível a criação de uma material para unir dois materiais de maneira reversível e simples. Desenvolveu o produto e submeteu a ideia para patente em 1951. O pedido suíço foi seguido por outras patentes nacionais, desta vez através de sua companhia Velcro S.A. A partir do relatório descritivo da patente dos Estados Unidos US 2,717,4372 pode-se ver a aparente simplicidade da invenção. O nome VELCRO é uma referência as palavras em francêsvelours (que significa veludo) e crochet (que significa gancho). Atualmente o uso e aplicação do produto são várias, e a palavra velcro tornou-se um termo genérico para referir-se ao material.
Fonte:Wikipedia
Os palitos existem há centenas de anos e, provavelmente, são os mais antigos instrumentos de higiene bucal, sendo conhecidos em todas as culturas.
No século XVII, os palitos eram objetos de luxo, considerados itens de joalheria. Eram feitos de metais nobres e enfeitados com pedras preciosas.
Em 1872, Silas Noble e J. P. Cooley patentearam a primeira máquina de fabricar palitos.
Nos dias atuais, com o advento da moderna dentística, o uso do palito é rejeitado, tendo sido substituído pelo fio dental e pela escova de dentes. Entretanto, apesar dos avanços e da tecnologia, o uso de palito permanece popular entre muitas pessoas.
Fonte:Wikipedia

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

O bem e o mal,o inimigo dentro de nós

Certa vez vindo  de Estância em um táxi lotação uma senhora que estava do lado do motorista comentou que sofria muita  discriminação na sua profissão,fiquei curiosa e perguntei qual era a sua profissão.Ela respondeu que era macumbeira(termo  usado por ela),então disse-lhe que realmente era uma área discriminada  e argumentei se era verdade que se faziam muita macumba para destruir casamentos,ela disse que sim,que era muito,muito  procurada,mas que os principais clientes dela eram  os políticos. Disse que uma vez na semana estava em Brasília,  uma vez no mês ia ao Rio,São Paulo, que era muito ocupada, que a sorte dela era uma prima que cuidava de seu filho ,pois era a melhor de Sergipe e sempre estava viajando.
Hoje pensando   sobre isso lembrei de um  caso que aconteceu em Estância.Eu sempre ouvir falar que tinha um rapaz que vinha de Estância para Aracaju a pé e depois retornava.Em ocasião da sua morte  vim saber  que era parente da gente(primo) e que ele vitima de uma praga (palavra do mal)  tinha ficado perturbado da mente.
Contam que ele  vendendo na feira teve uma pequena discussão com a cliente que lhe revelou que era ‘macumbeira ‘e  jogou-lhe a praga que daquele dia em diante iria sofrer o pão que o diabo amassou,nunca mais ele  ia ser o mesmo.Dizem que ele ficou esquisito, não quis mais trabalhar  e começou a ter forte dores de cabeça.Na época ele tinha só quinze anos e faleceu depois dos trinta.
É  triste a história desse meu primo que acreditou que podia ser atingido pelo mal invisível,talvez com oração ou pensamentos positivos ele tinha  tido uma história diferente.Dizem na família que meu avô Birrola passava pelos “despachos” pegava o que podia ser útil e nunca lhe aconteceu nada,ele simplesmente não acreditava,era protegido pelo pensamento positivo. Mas nem todo mundo é assim, uns acreditam, outros ficam duvidosos e    infelizmente  temos  que  conviver com todo tipo de  maldade, seja  visível ou invisível .
Como canta o Capital Inicial:
O mundo é todo meu por isso é assim
Renasço a cada dia
A estrada é longa e não tem fim
Eu trago em minhas costas
As montanhas que eu movi
O acaso me empurrou
Até chegar aqui
Não pergunte quem eu sou, eu sou você, a sua voz,
O heróI, o covarde,
O inimigo dentro de nós.”


segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Meu pai,fé em Deus e amor à vida

Admiro meu pai  (apesar de saber  de seus defeitos) pela sua   fé em Deus ,amor à vida e grande capacidade de enfrentar as adversidades.
Perdeu a sua querida mãe  com 9 anos  de idade,foi criado por meu vô Birrola viajando  como tropeiro pelas matas sergipanas ,foi embora cedo de casa para tentar fortuna,morou  em Salvador(cabaré),São Paulo e Rio de Janeiro onde como soldador  sofreu gravíssimo acidente,sofrendo queimaduras de 1,2 e 3 graus,ficando em coma  e hospitalizado por mais de seis meses na Santa Casa de Misericórdia,sozinho,sem parentes,só sendo assistido pela caridade de freiras e crentes.Foi dado como incapacitado para trabalhar e ter filhos e não aceitou nenhum dos decretos. 
Voltou para sua terra Sergipe, fez fortuna em Estância (através da sua capacidade de negociar  e de visualizar progresso),foi a falência quatros vezes não conseguindo se reerguer depois de idoso,por preconceito da sociedade  de não acreditar nessa população.Foi traído por alguns amigos,quase tornou-se assassino por querer matar um deles e como conta “foi tocado por Deus para não cometer um ato insano, desfazendo da sua arma e tornando-se evangélico.”
Apesar de toda a sua história podia ter se tornado bandido, mas nunca amaldiçoou a Deus e nem a vida.
Faço das palavras do autor Rudyard Kipling ,minhas palavras para meu pai:
Se pode  lidar com o triunfo  e a desgraça,estes dois impostores,da mesma maneira;
E ao perder, começar tudo de novo, desde o ponto de partida, sem dizer uma palavra sobre sua perda;
Se é capaz de forçar seu coração, nervos e músculos exaustos a servirem seus objetivos, e a persistir quando nada mais há em você senão sua vontade, que lhe diz “prossiga” e se dedicar sessenta segundos de cada minuto ao trabalho,então a terra será sua,com tudo o que existe no mundo. E você, o que é mais importante, será um HOMEM.