segunda-feira, 6 de maio de 2013

O pincel do tempo




O pincel sofre uma convulsão
O pintor escreve um poema
Rabiscando o olhar do diabo
Sussurrando mentiras inocentes
Na alma de Deus.
O pincel é remexido por uma criança inocente
Numa avalanche  de palavras sem cor...
Deus e o diabo
Num inferno de flores brancas
Decifrando o futuro que o homem  trilhou.
Correndo  contra o tempo
O poeta inventa uma tela:
Deus e o diabo no paraíso
Suores perfumados
Formando um rio sangrento
Banhado com flores negras.
Por um momento o sol se apaga,
O passado se faz presente.
Deus se sente sozinho
A serpente é abençoada...
E o homem inventa as cores
Que pinta a tela da vida!
Telma Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário