segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Meu pai,fé em Deus e amor à vida

Admiro meu pai  (apesar de saber  de seus defeitos) pela sua   fé em Deus ,amor à vida e grande capacidade de enfrentar as adversidades.
Perdeu a sua querida mãe  com 9 anos  de idade,foi criado por meu vô Birrola viajando  como tropeiro pelas matas sergipanas ,foi embora cedo de casa para tentar fortuna,morou  em Salvador(cabaré),São Paulo e Rio de Janeiro onde como soldador  sofreu gravíssimo acidente,sofrendo queimaduras de 1,2 e 3 graus,ficando em coma  e hospitalizado por mais de seis meses na Santa Casa de Misericórdia,sozinho,sem parentes,só sendo assistido pela caridade de freiras e crentes.Foi dado como incapacitado para trabalhar e ter filhos e não aceitou nenhum dos decretos. 
Voltou para sua terra Sergipe, fez fortuna em Estância (através da sua capacidade de negociar  e de visualizar progresso),foi a falência quatros vezes não conseguindo se reerguer depois de idoso,por preconceito da sociedade  de não acreditar nessa população.Foi traído por alguns amigos,quase tornou-se assassino por querer matar um deles e como conta “foi tocado por Deus para não cometer um ato insano, desfazendo da sua arma e tornando-se evangélico.”
Apesar de toda a sua história podia ter se tornado bandido, mas nunca amaldiçoou a Deus e nem a vida.
Faço das palavras do autor Rudyard Kipling ,minhas palavras para meu pai:
Se pode  lidar com o triunfo  e a desgraça,estes dois impostores,da mesma maneira;
E ao perder, começar tudo de novo, desde o ponto de partida, sem dizer uma palavra sobre sua perda;
Se é capaz de forçar seu coração, nervos e músculos exaustos a servirem seus objetivos, e a persistir quando nada mais há em você senão sua vontade, que lhe diz “prossiga” e se dedicar sessenta segundos de cada minuto ao trabalho,então a terra será sua,com tudo o que existe no mundo. E você, o que é mais importante, será um HOMEM.


Nenhum comentário:

Postar um comentário