quinta-feira, 2 de junho de 2011

Amo as festas juninas

Amo as festas juninas
Odeio o São João de Estância

Fogueiras nas portas, milho assado, pamonha, canjica, quentão, quadrilha, casamento caipira com a benção do Santo João.
Viva o nosso santo!
Viva a festa do São João!
Festa sem preconceito, em céu aberto para todos no grande arraiá popular.
Amo o São João, mas não o da minha cidade jardim.
Lá existe uma tradição de um tal fogo chamado buscapé.
Até que o fogo é bonito de se ver, mas bem de longe, lá no arraiá do forródromo onde se arrisca quem quer.
Sou filha de Estância, moro em Aracaju há 23 anos e estou presente na minha terra todo sagrado mês. Mas no mês de junho prefiro ficar na nossa capital e ver um São João de paz e amor.
Sempre fiquei revoltada de presenciar os idosos e quem não gosta do tal fogo, nesta bela época, trancados em casa, sem poder ir a missa, ao culto ou mesmo dançar um xaxado .
Aproveito o contexto e esquento minha memória relatando um pouco da história:
Certa vez o buscapé caiu no quintal da casa de meus pais, quase a machucar meu filho.
Em outro ano, felizmente eu não estava por lá, o grande fogo rapou o telhado assustando meus pais idosos que adoeceram com o grande susto.
Continuando a história: no ano passado o fogo adentrou nossa casa que por sorte a guerra do irado ficou só na garagem. Isso fora aos fogueteiros que não respeitam nosso apelo para soltar o fogo em outro lugar, não importando se é idoso, grávida ou criança que está a passar pela rua.
Não entendo essa tal de tradição que pode matar, adoecer ou aniquilar. Tenho colegas que perderam os dedos, mãos e até uma filha de um amigo de meu pai que ficou cega com a faísca do fogaréu.
Lembro do único ano que gostei do nosso São João: quando certo prefeito enfrentou a população tradicionalista e determinou que só pudesse soltar os fogos em local estabelecido.
Essa sim é uma atitude de quem se preocupa com a saúde e integridade da população.
Como voluntária do HUSE vejo o estrago que essa festa pode causar e fico a imaginar por que diabos uma população divulga o que não presta. Deve ser coisa do capeta (sem ser a bebida da época) para que o povo fique cego e arda nas chamas dos buscapés.
Ele ia amar tanta gente esquentando sua alma para o seu bel prazer.
Assim digo de coração que amo as festas juninas e odeio o São João de Estância onde vejo só fumaça e risco no respirar do nosso grande jardim.
É só um desabafo... e
“Ás vezes, a melhor ajuda que conseguimos obter é um bom e firme empurrão” Joann Thomas
Que não seja na fogueira ou no meio dos buscapés, só para o despertar da nossa consciência
Telma Costa- Junho/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário